18 de agosto de 2017

Precisamos nos unir em nome do amor

filme: o menino do pijama listrado
É impressionante que em pleno 2017 vários formadores de opinião estejam se manifestando em suas redes pedindo "pelo amor de Deus" a seus inscritos para não aceitarem e não importarem o nazismo dos Estados Unidos. É assustador que devamos implorar a um país latino, miscigenado, com maioria negra, de terceiro mundo que não passem a mão na cabeça de nazistas e que não relativizem o nazismo.

Eu sei que estou há quase um mês sem postar mas não é por falta do que escrever, tenho alguns posts prontos para quando uma novidade chegar, mas eu não poderia esperar para falar sobre isso. Acho que é dever de todos se juntarem e formarem um muro contra essa loucura que está se formando e que ~espero que não~ pode chegar aqui. Independente do que eu queira ou não, temos que cair na real de que para essa onda de ódio chegar aqui, como muitas outras, é "vou aqui, volto já".

Assim como a quantidade de mulheres no Brasil é 51% maioria, quantitativa com relação aos homens, e mesmo assim sofremos machismo pesado, sem falar nos casos de polícia em que 90% é lei maria da penha, entre outros números, ou seja, a violência contra a mulher é gritante; assim como os negros representam 54% da população brasileira e mesmo assim os seus acessos a cargos mais altos, faculdade, melhoria de vida são miseráveis; porque um país latino e miscigenado não iria aderir ao nazismo? É um pulo, amigos!

Por isso vim me abrir aqui nesse cantinho que uso para refletir e está totalmente aberto para fazermos juntas(os), vim conversar e expor o meu medo. Vi vídeos e mais vídeos sobre a passeata em Charlottesville, ouvi as notícias sobre as pessoas mortas e feridas... por ódio gratuito. 

Sei que temos candidatos que agregam alguns desses ódios gratuitos, e não quero citar nome pois esse não é o foco, e para que os eleitores desses candidatos aceitem e enalteçam essa blasfêmia é um instantezinho só, por isso, vim pedir encarecidamente, vamos nos unir contra isso, vamos nos unir contra a violência, contra o ódio, contra a intolerância. Não é uma questão política, pessoal, é uma questão humana, existencial.

Gostaria de nunca ter trazido esse tema aqui mas depois de olhar em volta e ver o quanto de coisa  tomou forma por ficarmos calados achando que não tinha força ~Hitler conseguiu chegar ao poder com apenas 27% de aprovação~ eu realmente não podia achar um muro sequer que me coubesse em cima. Como dizia Martin Luther King:
Perdoem os números, essa não é muito a nossa pegada, mas achei muito necessário mostrar que o problema não está apenas na minha cabeça. Pesquisem, se informem, a sabedoria está em quando não saber de algo, ir atrás. Se não fizermos assim, viramos massa de manobra, e ninguém quer isso não é mesmo?

Quero deixar mais uma frase que sempre levo comigo e que a autoria diverge entre Maiakovski e Brecht:
Vamos agir enquanto ainda temos tempo, enquanto ainda tem quem reclame.
curta o post aqui embaixo

14 comentários:

  1. Que post incrível, infelizmente ainda temos que abordar assuntos como esses nos dias de hoje, eu também fiquei horrorizada ao saber dessa manifestação, vivemos escutando que machismo não existe, racismo não existe, espero que isso venha abrir nossos olhos de uma forma positiva.

    https://aaquariana.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  2. (grande probabilidade de isso virar um comentário bíblia, desculpe).

    Eu me deparei com essa realidade do neonazismo já há alguns anos. Lembro que na época da escola eu lia sobre nazismo e ficava chocada mas me sentia aliviada de ver que aquele tempo passou, que o mundo era completamente diferente e as mentes mais evoluídas. Depois de adulta vim pra Alemanha a primeira vez lá em 2012 mais ou menos e comecei a ver notícias das passeadas "nacionalistas" (a.k.a neonazis). Comecei a ler sobre o assunto e me deparei com a realidade: o nazismo nunca morreu, nazistas tiveram filhos e netos e passaram suas ideologias adiante. Hoje o partido nazista nao existe mais mas existe um novo partido, uma nova cara pra velha mentalidade. Partido que embora tenha números pequenos, tem seus representantes em alguns lugares e nos útlimos tempos vem ganhando um pouquinho mais de forca. Depois que me mudei definitivamente pra Alemanha eu e meu marido comecamos a procurar um apê maior e eu encontrei vários com precos ótimos em algumas cidades aqui perto. Mas ele nao queria ir pra lá e o motivo era que eu sou estrangeira e alguns lugares sao bem conhecidos por sua populacao xenófoba e racista. Lembrando que o marido é alemao e nao um brasileiro com medo de boatos. Mas acho que isso nem é muito segredo pra quem vive ou já viveu no leste da Alemanha.
    Mas você sabe o que é pior? Já vi num grupo do facebook uma BRASILEIRA que mora aqui dizendo que os neonazis estao certos e estao apenas defendendo sua amada pátria! Por isso já nao me choco com mais nada, viu. Ela com certeza pensa que neonazis sao contra apenas imigrantes muculmanos e xenofobia pro lado dos outros tudo bem né? Quero ver no dia que ela acordar e notar que está alimentando a cobra que vai engolí-la. E isso também se deve muito ao fato de brasileiros nao saberem que nao sao considerados brancos na Europa. Porque branco aqui nao é quem tem a pele branca, é quem é descendente unicamente de europeus. Por isso latino-americanos nao sao vistos como brancos, afinal quem vai ter certeza de que há 400 anos atrás nao havia seuquer um índio na sua árvore genealógica? Quase impossível! Daí eu fico vendo brasileiro batendo palmas pra supremacista branco porque acha que ter a pele branca já é suficiente pra ser considerado branco também. Fico só imaginando o dia em que essas pessoas acordarem e notarem que nao sao o cacador, mas a presa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, amiga, obrigada por esse relato, você poderia contar mais sobre isso no seu bloguito, eu iria adorar ler sobre como é para uma brasileira morar na Alemanha etc. O que você falou é muito real pra mim, quando eu também estudei obre o nazismo e pensei "nossa, ainda bem que já passou, ainda bem que esse tipo de coia acabou", mas aí vem o mundo, vem o tempo e as pessoas pra mostrar que não, que o ódio ainda persiste e eu sinceramente não consigo entender, mana. É muita maldade pra uma espécie só. Espero que fique sã e salva por aí porque o bagui aqui tá loko <3

      Excluir
    2. Nossa. A gente lê um comentário desse, vê na tv não sei quem criando bomba pior que a outra que matou um monte de gente. Parece que o mundo nunca melhorou, só mudou os olofotes. rsrs :(

      Excluir
    3. Maior verdade que li hoje... :c

      Excluir
  3. Como já cantou Cazuza:

    "Eu vejo o futuro repetir o passado
    Eu vejo um museu de grandes novidades
    O tempo não para
    Não para, não, não pára"

    E atualmente Harry Styles:

    "Nós não conversamos o suficiente
    Deveríamos nos abrir
    Antes que tudo fique além da conta
    Será que algum dia vamos aprender?
    Já passamos por isso
    É simplesmente o que sabemos"

    É muito, muito triste ter que viver a história, aquela história que a gente apenas soube, mas agora tem uma faísca a solta, basta encontrar pólvora pra explodir, e essa pólvora se une tão fácil que assusta.
    Esse mundo realmente é apenas uma ilusão de normalidade, por dentro tem um caos enorme.

    Eu fiquei em choque com a quantidade de pessoas naquele protesto. Porque todo o preconceito que você falou, ele é praticamente velado, esse foi tão aberto que me deixou perplexa. Eu ainda tô tentando encontrar palavras pra me expressar além das que já citei, mas o sentimento é pior que isso. Tá indizível :(

    Sei lá, sabe, às vezes a gente perde a fé, mas então eu penso que assim como eles se uniram pra tocar o terror, a gente, que é maioria, pode fazer a nossa parte, botar a cara no sol e abrir o coração, mostrar humanidade, porque não somos nada.

    Parar por aqui senão escrevo um livro.
    Tô triste.

    xero
    http://rascunhosehistorias.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai amiga, pode escrever um livro que eu leio tudinho rs precisei escrever tudo isso para escoar um pouco de toda aquela tristeza que eu tava sentindo, ainda não cheguei no ideal mas deu uma melhorada. Precisamos sim nos unir, somos maioria, como você disse, só precisamos de força, união e não perder a fé <3

      Excluir
  4. Bruna, este assunto é tão impactante e tão triste, você disse tudo no seu post, estou sem comentários. Que as pessoas possam ter mais empatia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, Fernanda, que elas possam enxergar no outro elas mesmas...

      Excluir
  5. é triste ver que algumas pessoas apoiam movimentos desse tipo, né? e que a internet, com o poder que tem para trazer conhecimento, é usada para unir gente que fortalece esse tipo de absurdo (entre tantas outras coisas ruins). só a informação salva, amei o post <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É realmente muito triste. Feliz que tenha gostado <3

      Excluir

Oi, obrigada por vir e volte mais vezes ♥

neoguedes © , All Rights Reserved. BLOG DESIGN BY Sadaf F K.